3 de fev de 2010

Uma Carta para Uma Grande Amiga

Pessoal,

Mandei essa carta para uma grande amiga minha a pouco tempo atrás. Gostaria de registrá-la aqui para casar com as discussões que li no Twitter hoje sobre "Mulheres Reais" e seus dilemas do dia-a-dia e para que possamos fazer uma reflexão sobre o tema. ;)

Espero que gostem.

Um grande abraço,

Jordana Araújo



Créditos da Imagem

"Aparecida de Goiânia, 24/10/2009.

Querida Lú,

Sei que faz muito tempo que nós apenas nos esbarramos por aí e que apesar do quanto gostamos uma da outra, não temos nos permitido parar se quer para nos encontrar de verdade, jogar conversa fora e saber como as coisas realmente estão.

A vida não é simples o quanto imaginávamos que seria quando nossos sonhos eram maiores que a realidade. E hoje gastamos tempo demais tentando ser aquilo que o mundo exige que sejamos, lutando por coisas que nem sabemos se realmente gostamos, vivendo uma vida que nem sempre é a nossa.

E na correria do dia-a-dia não paramos um minuto para nos perguntar onde gostaríamos de chegar e quando vemos estamos tão longe de nós mesmos que não encontramos razões para explicar porque vivemos assim e porque estamos sempre tão distante de tudo e de todos que realmente amamos.

Não comemos mais as Passatempos de antes porque precisamos ser Super Mulheres que trabalham, estudam, cuidam da casa, do marido, dos cachorros e gatos, e que no final das contas ainda têm que achar uma hora para fabricar netos, ser mães e conseguir entrar num jeans 36.

E assim vamos correndo tanto que quando paramos para ser nós mesmos e fazer o que realmente gostamos nos sentimos culpadas, achamos que estamos desperdiçando o tempo que deveríamos estar usando para fazer um monte de outras coisas que a cada dia nos afasta mais de nós mesmas.

Quando penso nisso tudo me sinto triste e feliz. Triste pelo tempo da minha vida que deixei passar longe de pessoas como você, que gosto tanto. E feliz porque ao pensar nessas coisas, tenho consciência de que apesar de tudo, ainda podemos achar na loucura do dia-a-dia um espaço para mudar e nos aproximar mais de nós mesmas.

Sempre que penso em você sinto uma imensa saudade do tempo que podíamos gastar com nós mesmas e com as coisas que gostávamos. Me dá tristeza de pensar no quanto nos distanciamos uma da outra e no quanto deixei que coisas menos importantes ganhasse prioridade máxima em minha vida.

Espero que você me perdoe por não ter feito nada para que pudéssemos ter continuado a ser como antes. Por não ter estado ao seu lado nos momentos em que você mais precisava nos últimos anos. Por não ter conseguido ser o que o meu coração realmente é.

Espero também que eu esteja errada em todas as vezes em que usei a palavra “nós” nessa carta e que nisso você não se pareça mais nada comigo.

E que se eu estiver certa, que nós possamos encontrar juntas um jeito de levar a vida num ritmo em que tenhamos espaço para respirar, nos aproximar de Deus e de tudo que amamos e ser a cada dia um pouco mais feliz.

(...)

Conte comigo sempre no que precisar. E nunca se esqueça do quanto eu realmente gosto de você.

Um grande abraço,

Jordana Araújo"

Um comentário:

Emerson Reinert disse...

Já nem acho mais, tenho certeza que essa é uma verdade para maioria de nós. "O que realmente estamos fazendo com nós mesmos?" - Mas, sei também que Deus nos deu uma dádiva de poder mudar nossa vida todo dia. É só agente querer, mas tem que querer muito! Muito Bommmmm o Texto, escreva mais !!!!!!!!