19 de mai de 2011

Passáro Custoso ou Menino de Fogo?


Às vezes gosto de voar,
às vezes gosto de brincar,
às vezes sou passáro de fogo que canta ao teu ouvido,
às vezes sou menino custoso, te fazendo perder o juízo,
Sou o que queres, é só me fazer o pedido!

Emerson Reinert

10 de mai de 2011

BlogExpress: Maníaco da Saudade!

Pelo seu amor me tornei maníaco,
porém, incapaz de fazer qualquer maldade,
Tornaste-me assim com seu olhar afrodisíaco,
seu toque, seu corpo, que me mataram de saudade!



Temas sugeridos pela Nini via Facebook (afrodisíaco) e Tayara via Twitter (saudade).


Emerson Reinert

5 de mai de 2011

Chopp&VinhoTinto: Chef Knut


Mais uma vez, depois de uma breve parada, “o blog” nos proporcionou a oportunidade de conhecer um lugar diferente “na Goiânia”, dessa vez reunimos a galera e fomos ver “de qual era” a do alemão discretinho de nome diferente: Chef Knut

Situado na “Bervelly Hills” Goiana, como diria o Emerson, o CHEF KNUT tem um espaço simples, com decoração alemã, bem descontraído e aconchegante. Mesinhas de madeira, cozinha aberta onde vc pode ver o famoso (joelho de porco) sendo preparado (por um chef que, diga-se de passagem, é um charme).

O restaurante é familiar, no dia em que fomos o dono não estava, ele divide o tempo entre Goiânia e os navios onde cozinha. Porém a esposa e a enteada estavam e foram super gentis e atenciosas conosco.

Especialmente nesse dia (quarta feira) estava tendo música ao vivo: saxofone... Pensem que delicia... Quase chorei de emoção...

A comida especificamente não é das minhas preferidas, muito gordurosa e pesada. Logo, muito saborosa também... Afinal nossas papilas gustativas pulam de emoção e produzem sei lá quantas substâncias de prazer, sabor e loucura quando entram em contato com gordura saturada... Então, lendo a definição e historia, oferecidas no próprio cardápio do restaurante, descobri que é uma comida que surgiu para preparar e “sustentar” o povo após longos e rigorosos invernos durante a guerra e no pós-guerra. Ou seja, beeem diferente da nossa realidade tupiniquim calorenta e sedentária do cerrado.

Experimentamos os mix de salsichas, as variedades de carne de porco, que aliás é o “carro chefe” do cardápio, muuuito porco nessa hora. As mostardas, em diferentes intensidades, na forma de bisnaga são uma diversão a parte, aliás Julinha de 3 anos, filha do casal Adriane e Alberto, se divertiu comendo com o dedinho a “pasta de dente” amarela e saborosa... Nós também... hehehe

Quanto as bebidas, acho que é um lugar ideal para os degustadores de cerveja, tem de todos os tipos, gostos, teores alcoolicos e cores... Também não é a “minha bebida”...

De opções vegetarianas o cardápio oferece: a polenta ao funghi (quero experimentar em uma próxima), salada com queijo. O resto é porco, porco, porco, queijos, presuntos, repolho (chucrute – também sou curiosa p/ experimentar), batata e mostardas, que ao menos aceleram um pouquinho o metabolismo... hehehe
Meninas, não deixem de ver os dias passarem no calendário que fica no banheiro feminino, que apesar de simples e não ter plastiquinho tem uma lixeira que abre em pétalas tb, e um calendário... ah! O calendário...

Enfim, vale a visita, principalmente aos amantes de cerveja e de uma típica comida alemã. Creio ser um restaurante mais “masculino”... Comida de “homem”... Né não Emerson?

Uai Carol, é sim, deve ser por isso que no banheiro de vocês tem esse tal calendário sexy/pornô (brincadeira), para agradá-las de alguma forma.

Realmente me surpreendi com o cardápio de cervejas que o pequeno Bistrô, se assim podemos chamá-lo, oferece. Sim, o lugar tem um cardápio somente para cervejas, com uma variedade de mais de 30 tipos de cervejas importadas, sendo elas da Alemanha, Irlanda, Itália, México, Áustria dentre outros países.

Tomei a cerveja Oittenger: “Uma das mais vendidas cervejas de trigo na Alemanha, a Oettinger Hefeweizen é engarrafada com as leveduras utilizadas em sua fermentação (“Hefe”), possuindo cor dourada turva e notas de cravo e banana típicas das cervejas de trigo bávaras. Suave e frutada, traz a alegria e a descontração típicas das grandes festas alemãs”

Putz, 8,6% (ou alguma coisa desse tipo) de graduação alcoólica e é uma verdadeira delícia, umas das melhores, se não a melhor cerveja de trigo que já tomei. Ah, antes bebi dois chopps Heineken.

E olha que só tomei uma cerveja, das mais de 30 tipos que o cardápio oferece, estou doidinho pra voltar e enxugar, aliás experimentar o cardápio todo, quem se habilita!?

O atendimento como a Carol já disse é caseiro/familiar, fomos atendidos pela despojada Camila, que sabe quase tudo da casa, por que algumas coisas ela teve que perguntar a sua mãe, mas foi bom, porque depois sua mãe e esposa do dono do local foi até a mesa para nos explicar o que estávamos comendo. Todos nós fizemos cara de quem entendeu, porque não entendemos nada e depois continuamos comendo porco porco e mais porco.

Bem, com certeza essa visita ficou com um gostinho de quero mais, mesmo porque os preços são um pouco salgados e não deu pra experimentar de tudo, mas vale à pena, tendo em vista a qualidade da comida e bebida.

Não podemos deixar de agradecer as presenças ilustres nessa visita do “Blog” da Nini, que já faz parte da equipe, do Leonardo, da Carina e da Juliana. Obrigado a todos que passaram por lá, cada vez mais as visitas vão virando uma grande experiência gastronômica/social, uma delícia.

Preço Médio por Pessoa: 55 reais

Não tem acessibilidade nenhuma. (ponto crítico)

Aceita cartões de crédito e débito.

Estacionamento: Não tem.

Não tem site.

Endereço: Rua 139, n. 377 (Rua Principal da Bervelly Hills, em frente a Originale Pizzaria.)

É isso pessoal, voltamos à ativa, pedimos desculpas pela parada no blog, mas prometemos reativá-lo cada vez melhor.

Esperamos suas opiniões também nos comentários.

Para ver os outros textos do " Chopp&VinhoTinto"  é só clicar no menu do blog no nome da Coluna que lá está todos os restaurantes/bares visitados até hoje.
Muito Obrigado a todos.
Carol Morais - @Carolmoraisnut e Emerson Reinert - @Emersonreinert

4 de mai de 2011

Insistente Calmaria

 
A chuva passou,
e com ela a inspiração levou,
a poesia assim, secou.
O frio chegou,
a alma invernou e
o coração congelou.
O tempo passou,
nada mudou,
pois, o cupido ainda não voltou*.
Mas, metido a poeta que sou,
rimando por ai eu vou,
até perceber que a maré virou!


Emerson Reinert