7 de jan de 2011

Voando no Escuro!


Ano novo de novo e o que faremos de novo?

Nesse ano vou cada vez mais experimentar o novo, assim como fiz em boa dose em 2010!

Nesse ano vou fazer igual fiz em Florianópolis, no meu penúltimo dia em terras Catarinas.

Era noite estrelada, +- 4 horas da manhã e fomos rumo às Dunas da Joaquina, uma das mais famosas do Brasil. Mas, era noite.

Lá ficamos observando a cidade, o mar e o mini "pantâno" perto dali exalando milhares de sons. Após, uma breve visita ao mini "pantâno" o que já foi algo diferente, subimos na Duna mais alta de todas e lá estávamos.

E agora aqui estamos na primeira semana de 2011.

O coração bate acelerado e assim batia. Olhamos pra baixo e nada vimos somente um breu, a escuridão e uma sensação deliciosa que nos convidava a nos jogar naquela duna enorme.

Aqui estamos, olhando adiante sem nada enxergar de fato. Há um breu que irá se esclarecer com os passar das horas e dos dias.

E assim, contamos até três e saímos correndo como loucos....

Era uma sensação incrível parecia que flutuávamos, sem saber onde pisávamos, tinha horas que parecia que não tinha chão mais, mas o pé mesmo assim pegava impulso, não enxergávamos um palmo a nossa frente e tudo isso somado a sensação de extase fazia parecer que àquela descida de uns 15 segundos durou uma eternidade de felicidade.

Descemos correndo, voando, flutando, saltando a duna somente pela sensação de estar ali vivendo aquele momento, sem pensar em nada, muito menos na iminente subida que fariámos depois (rs)!

Foram 15 segundos ou um pouco mais de gritos, adrenalina, tensão, prazer e risadas, além do medo de a qualquer momento sair capotando duna a baixo.

No fim estavámos lá embaixo morrendo em gargalhadas com o coração pulando pra fora e a felicidade contemplada em nossa alma.

E assim vejo 2011, como uma enorme duna, na escuridão a ser descida correndo ou voando, mas, porém, com tudo, todavia e entretanto aproveitando o máximo possível e sentindo cada passo que darei.

O novo é algo estimulante e como diria este quase poeta que vos escreve "porque o que nos move é a busca", a busca por algo novo, por uma nova e deliciosa sensação e a busca é algo que tem ser constante e será nesse ano novo, a busca por sermos cada vez mais felizes de corpo e alma.

Bem a história da Duna acaba com subida incrivelmente grande e ingríme na qual tive que parar 3 vezes para conseguir subir e mesmo parando 3 vezes achei que não conseguiria. E assim também é a vida, às vezes experimentamos deliciosas sensações e logo em seguida somos colocados a prova, mas quando isso acontecer nosso coração estará cheio e enfretaremos as subidas que tivermos que subir!!!

Depois de subir a duna nos lembramos que o voô de um de nós saia em 50 minutos e estavámos a 30 minutos do aeroporto.

No fim tudo deu certo.......

E espero que no fim de 2011 tudo de certo para todos nós e que tenhamos descido muitas dunas e provado muitas sensações e sentimentos novos e tenhamos muitas histórias pra contar, porque de nada vale a vida se você não tem uma boa história pra contar!!!


*Na foto do começo, se vê duna, areia e uma linha e depois o breu, como se não tivesse mais areia, pois é, foi isso ai!
A foto abaixo é do mini "pantâno" de dia.




Emerosn Reinert

2 comentários:

Susane disse...

Adorei, adorei.. era td q eu precisava ler nesse momento =)

Beijos!

Priscila Borges disse...

Excelente e inspirador post. Que bom contribuir com uma ideia que gerou um texto tão reflexivo.
Estou no topo da duna e pronta para descer com toda força.
Abraço.