27 de jul de 2010

Forno

Um vazio acumulado
Uma inquietação calma
Uma dúvida calada
Um pensamento solto
Um corpo sem vida,
Um suspiro frio,
Um olhar perdido
Um sorriso forjado
Tudo mais ou menos,
é menos pra mais
e mais pra menos.
Não sou mais ou menos.
Nunca fui.
Prefiro o exagero,
o excesso, o grito,
o sexo com grito,
o amor em exagero,
a paixão com execesso.
Eu sou assim,
mais pra mais, do que pra menos,
às vezes um bom rapaz,
às vezes não,
Porque não estou morto,
Não sou frio,
prefiro o quente e nunca o morno.


Guerrilheiro do Amor

*Foto crédito blog: Caixa da Duda

6 comentários:

Patty disse...

Como já disse Martha Medeiros e eu assino embaixo:

"Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos.
Tudo perda de tempo.
Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo.
O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia."

(trecho de O Divã)

Adorei o poema!
Bju

Pensamentos Diretos disse...

Justamente deste texto saiu essa verso..... +- .... mas eu odeio o morno!

Casa de Mariah disse...

As vezes é tão sem gracinha ser um bom rapaz!

Pensamentos Diretos disse...

Rs...... Concordo plenamente!

Michelly disse...

aaah adorei, ficou mt legal! já te falei q tb sou mais pra mais do que pra menos!
beeeijo
saudade!

Dai disse...

Ó,

sugiro para o tema dessa semana, do De Blog em Blog, o tema "Loucura", pode ser?

=*