10 de nov de 2010

Ponto Final!

Sinceramente,
Eu quero mesmo muito do que não sei,
mas ir descobrindo junto com você,
seria o ideal,
mas, devagar, na boa e em paz,
sem pressão, nem pressa, de forma natural,
porque afinal,
minhas poesias são poesias,
tentando descrever o significado real,
do que sinto, quando colo meu rosto no seu,
algo celestial,
completamente fora do normal,
sintonia total,
que eu pobre mortal,
tento controlar,
e acabo me dando mal,
mas vou ficando por aqui,
antes que isso fique muito sentimental,
pois, tenho que ser "normal",
jogar o jogo da vida banal.
Então, tá tchau e Ponto Final!


Emerson Reinert

Um comentário:

Gustavo Paiva disse...

Meu querido, esse foi fenomenal ... Excelente a constatação e a poesia ... hehehe Abração !!