30 de ago de 2010

Vazio




Hoje estou vazio,
de corpo e alma.
Em minha mente,
ponto sombrios,
me interrogam e
e nada mais me acalma.
Já não sinto àquele arrepio,
que me faz suar a palma,
Me seguro meio arredio,
Pedindo apenas calma!

Emerson Reinert

3 comentários:

Patty disse...

Acho que estou assim também!
O que fazer hein?

Bjinhos
Tenha uma ótima segunda-feira

Carol Pajaro disse...

Sua capacidade de racionalizar sentimentos me impressiona! Você consegue externalizar uma certa "zona de conflito" que tem me feito, mais que pedir, necessitar de calma. Corpo e Alma, vazios, precisam que limites sejam refeitos, que concepções e objetivos redefinidos. Pontos de dúvidas, sombrios, me consomem. As vezes é assim!
Parabéns plo poema.

Beijos,
C. Pajaro

Renata de Aragão Lopes disse...

Sensação desagradável,
mas tão comum...

Gostei do texto!

Um abraço,
Doce de Lira